Sistema integrado,
imagens expressivas.

Raio-X Portátil

vivant X-RAY

Solução completa:
o mais seguro do mercado

Alta qualidade e segurança em radiologia odontológica intraoral. 

Fornecemos todos os acessórios para maior segurança do paciente e operador e atende aos requisitos regulatórios da IN95 da ANVISA.

O que faz parte do conjunto completo de acessórios do Vivant X-Ray:

Laudo Técnico

Escudo Protetor

Disparador Remoto

Tripé para Disparo

Tirante de Segurança

Case de Transporte

Tensão: 70kV

Corrente: 3mA

Melhor relação de tensão e corrente do mercado de raio-x portátil, assegurando os mais precisos resultados na radiografia

Bateria: 15.000mAh

+ de 1.500 disparos com 1 carga.

Tela: Touch de 2,8”

Display capacitivo de comandos.

Ponto Focal: 0,4mm

Potência: 210W

Peso: 2,6Kg

Digitalizador de Imagens

vivant PS

Gere imagens digitais de radiografia intraoral através de placas de fósforo

Acompanham 4 placas de fósforo que realizam a recepção da imagem intraoral.

Placas: 0 , 1, 2 e 2

Cada placa possui vida útil de 1,5 mil exposições

Software de manipulação e armazenamento de imagens de fácil instalação e operação

Acompanha pendrive contendo software completo de gerenciamento de imagens.

Painel touch screen fácil de usar

Somente um botão.

Algoritmo de análise de dose apropriada

Indica se a dose foi correta para a aplicação, garantindo uma exposição segura e imagens nítidas.

Portátil

Necessita apenas de cabo USB e fonte de alimentação.
A transmissão da radiografia é feita para um computador via software.

Kit de luvas e envelopes descartáveis

400 unidades para cada tamanho das placas de fósforo.

Equipamento bivolt

Sensores Digitais

vivant DS

Imagens digitais instantâneas em alta definição.

DS1Área Ativa: 20x30mm

DS2Área Ativa: 26x36mm

Simples funcionamento

Conecta-se ao computador via cabo USB.

Rápido

Processo de aquisição de imagem digital em apenas 3 segundos.

Resistente a água (IP68)

Corpo com design robusto possui a tecnologia de vedação por soldagem ultrassônica que garante proteção total contra poeira e água

Algoritmo de análise de dose apropriada

indica se a dose foi correta para a aplicação, garantindo uma exposição segura e imagens nítidas.

Software incluso

Software de manipulação e armazenamento de imagens de fácil instalação e operação.

APS CMOS

Utiliza sensor de detecção com tecnologia APS CMOS

Cantos ergonomicamente arredondados

para maior conforto ao paciente.

ErgonômicosApenas 4,5mm no DS1 e
4,9mm no DS2.

Durável e ConfiávelTestado para mais de 80.000 flexões do cabo.

LevesPrático para o manuseio
e para o transporte.

Acompanha pendrive com software
de gerenciamento de imagem.

Configurações de compatíbilidade:

Compatível com: Windows® 7 ou superior
Conexão: USB 2.0 ou superior
Processador: Quad-Core 3Gz ou superior
Espaço livre no HD: 1,2GB ou superior
Memória: 8GB ou superior
1280×1024/1280×1024 ou superior

Assista aos vídeos! Conheça os detalhes de cada modelo da Linha Vivant.

Perguntas Frequentes

Os raios X são ondas eletromagnéticas que possuem a capacidade de atravessar estruturas de diferentes densidades do corpo gerando assim diferentes padrões de contraste de imagens radiológicas. Eles são uma forma de radiação ionizante, produzidos artificialmente pela frenagem de elétrons acelerados em direção a um alvo metálico, dentro de uma ampola de vidro evacuada (tubos de raios-X). Fótons de raios-x atravessam facilmente corpos de baixa densidade e são absorvidos por materiais de densidade maior.

Não! Quando uma pessoa faz uma radiografia, que sempre se utiliza de tubos de raios-x que produzem radiação artificialmente e somente durante o tempo selecionado pelo operador do equipamento, ela é exposta à radiação, mas nunca será contaminada. Para que uma pessoa seja contaminada, um determinado material radioativo (em sua forma sólida, líquida ou gasosa) deve entrar em contato com seu corpo.

· A densidade radiológica dos tecidos é avaliada pela capacidade de determinada estrutura do corpo humano absorver ou permitir a passagem dos raios X, fazendo com que este atinja em menor ou maior proporção o detector digital ou filme radiográfico.

· Os raios X têm a capacidade de enegrecer o filme radiográfico, então tecidos moles (que facilitam a passagem de raios X) geram no filme um resultado mais enegrecido (radiotransparente) e de modo inverso, os tecidos duros (que dificultam a passagem dos raios X), geram no filme um resultado branco (radiopaco).

· Logo, o resultado final de uma imagem radiológica são tecidos moles representados de forma escura e tecidos duros de forma clara.

Os fatores que influenciam na construção da imagem final podem ser divididos em 3 grupos:

(1º) Fatores de exposição: kV (Kilovoltagem), mA (corrente), t (tempo de exposição) e DFD (distância foco detector).

(2º) Fatores associados ao paciente: espessura da área a ser radiografada, composição e densidade dos tecidos da área anatômica, idade, alterações morfológicas, doenças, gênero e biotipo corporal.

 

 

(3º) Fatores de aquisição e processamento da imagem: detalhe e resolução (influenciado principalmente pelo tamanho do ponto focal do tubo de raios X e pela distância entre o paciente e o detector de imagem), densidade e contraste (influenciados pela espessura das estruturas dos pacientes, fatores de exposição e a distância entre o tubo e o detector) e a distorção geométrica (influenciada pelo correto alinhamento do objeto e posicionamento do raio central do feixe de raios X).

Observação Importante: Na radiologia digital, o contraste e o brilho podem ser alterados digitalmente para melhorar a qualidade da imagem radiográfica assim como os fatores de exposição podem ser reduzidos devido a maior sensibilidade dos detectores.

Sim! A segurança na operação de equipamentos de raios X portátil está relacionada com o grau de importância que o operador dedica a sua autoproteção. É possível operar com 100% de segurança seguindo as devidas orientações técnicas, que envolvem o uso de tripé e cabo disparador. O raio x portátil Vivant possui tripé e disparador inclusos, como itens de série para garantir a correta proteção a radiação espalhada gerada pela interação do feixe de raios X com o paciente. A Schuster está comprometida com a proteção no consultório odontológico

Simples! Utilizando os princípios básicos de tempo, distância e blindagem: Tempo: utilizar o menor tempo possível de exposição para uma boa qualidade diagnóstica, gera menor exposição do paciente e de trabalhadores; Distância: utilizar a maior distância possível do ponto de interação da radiação com o paciente (normalmenta acima de 2,0 m); Blindagem: Se não for possível ter a distância adequada para se obter níveis aceitáveis de radiação para o trabalhador, utilizar blindagens adequadas para reduzir a exposição (avental plumbifero ou biombo radiológico).

A quantidade vai depender do tipo de estrutura a ser estudada, equipamento de raios X, tipo de receptor de imagem e fatores de exposição, mas é válido ressaltar que as radiografias odontológicas digitalizadas possuem uma dose muito baixa de radiação. Desse modo, é possível afirmar que os riscos da radiografia odontológica são infinitamente menores do que os benefícios que os exames oferecem

O equipamento é útil em uma série de contextos, viabilizando os já tradicionais procedimentos radiológicos intraorais assim como procedimentos sem a obrigatoriedade de movimentação do paciente, realização de exames em ambiente de difícil acesso para equipamentos tradicionais assim como diante da falta ou dificuldade de acesso energia elétrica devivo a alimentação por bateria. Construído com gerador de alta frequência, produz um feixe de raio X com forma de onda rápida, entregando características como: alta estabilidade e reprodutibilidade na produção dos raios X, produção de energia de fótons de raios X com auto poder de penetração (kV) e por consequência, à capacidade de usar tempos de exposição mais curtos, o que significa uma dose menor de radiação para os pacientes e menor chance de visualização dos artefatos de movimento. A tecnologia também permite equipamentos menores e compactos, que vieram facilitar seu uso e transporte, popularizando o uso do raio X portátil no mundo inteiro

A radiologia digital emprega sistemas computacionais para a aquisição, transferência, armazenamento, ou simplesmente tratamento das imagens digitais adquiridas. As imagens são obtidas a partir da conversão do feixe de raios X atenuado (após interação com o objeto) em sinais elétricos e sua transformação em dados digitais. Dentre as principais vantagens da radiologia digital em relação ao sistema de filmes convencional, destacam-se a eliminação do processamento químico de revelação, a redução da repetição de exames, a visualização instantânea da imagem, a transmissão dos dados possibilitando o envio de imagens para outros profissionais de modo ágil, a melhoria qualidade das imagens em termos de definição e resolução de contraste, a possibilidade de manipulação das imagens e redução das doses de radiação utilizadas